quarta-feira, 27 de junho de 2012

[Resenha] A linguagem das flores - Vanessa Diffenbaugh


Título: A linguagem das flores

Título Original: The Language of Flowers

Autora: Vanessa Diffenbaugh

Editora: Arqueiro

Nº de páginas: 294

Sinopse: Victoria Jones sempre foi uma menina arredia, temperamental e carrancuda. Por causa de sua personalidade difícil, passou a vida sendo jogada de um abrigo para outro, de uma família para outra, até ser considerada inapta para adoção. Ainda criança, se apaixonou pelas flores e por suas mensagens secretas. Quem lhe ensinou tudo sobre o assunto foi Elizabeth, uma de suas mães adotivas, a única que a menina amou e com quem quis ficar... até pôr tudo a perder. Agora, aos 18 anos e emancipada, ela não tem para onde ir nem com quem contar.
Sozinha, passa as noites numa praça pública, onde cultiva um pequeno jardim particular. Quando uma florista local lhe dá um emprego e descobre seu talento, a vida de Victoria parece prestes a entrar nos eixos. Mas então ela conhece um misterioso vendedor do mercado de flores e esse encontro a obriga a enfrentar os fantasmas que a assombram. Em seu livro de estreia, Vanessa Diffenbaugh cria uma heroína intensa e inesquecível. Misturando passado e presente num intricado quebra-cabeça, A linguagem das flores é essencialmente uma história de amor – entre mãe e filha, entre homem e mulher e, sobretudo, de amor-próprio.


Nota Pessoal:
O livro nos conta a história de Victoria, uma jovem que depois de passar a sua infância sendo jogada de orfanato em orfanato, de família em família, se vê com 18 anos, emanicipada e responsável pela própria vida.
Com um vasto conhecimento sobre ‘a linguagem das flores’ adquirido com o convívio com Elizabeth (a única mãe que a garota gostou, e ainda gosta), Victoria é contratada em uma floricultura, depois de fugir da casa para onde foi mandada após completar 18 anos, na qual ela tinha que arrumar um emprego e assumir seus atos dali em diante.
Não contente com o rumo da sua história, Victoria foge e começa a dormir na rua, cultivando um belo jardim, e uma coleção de erros e frustrações do passado.

“ Essas flores se chamam morrião-dos-passarinhos. Elas significam ‘seja bem-vindo’. Ao lhe oferecer um buquê delas, estou lhe dando as boas vindas à minha casa, à minha vida.” PG: 32
Os capítulos do livro são intercalados entre passado e presente. Tendo como pano de fundo a história de Victoria ainda criança, para podermos compreender o presente.
O que tinha tudo para deixar a história confusa, só tornou a narrativa mais leve e encantadora.
Após enviada para casa de Elizabeth, Victoria (ainda criança) mesmo presa no seu casulo de tristeza, sente-se feliz. A única pessoa que a compreendia, que a envolvia de amor, mesmo a menina sendo rebelde.
Acho que o fato de Victoria ter uma infância conturbada, tornou a garota um poço de remorsos.
Aí conhecemos toda a história de Elizabeth; o que levou a mulher a adotar a pequena Victoria, e mesmo a garota fazendo de tudo para irritá-la e mandá-la de volta para o orfanato, ela persiste. O que só aumenta a certeza de Elizabeth de continuar com a garota.
Até o terrível acontecimento que separa a vida das duas, acontecimento esse causado pela Victoria; o laço maternal que estava sendo tecido aos poucos.
E aí nos deparamos com a Victoria adulta. Apaixonada pela linguagem das flores, ensinada por sua mãe adotiva.
Victoria após ser contratada na floricultura, faz sucesso entre os clientes. A mesma é procurada para indicar a melhor flor, para cada ocasião especifica. Um jovem apaixonado, um casal que quer renovar o seu amor, enfim as inúmeras ocasiões importantes na nossa vida, que nos é apresentada por cada flor especifica.

“ A linguagem das flores era a única coisa à qual eu era leal. Se começasse a mentir sobre ela, não restaria nada de belo ou verdadeiro em minha vida.” PG: 110/111

De repente Victoria se depara com o seu passado. E tem que enfrenta-lo, agora já adulta; tem que assumir seus erros e tentar mudar a sua própria história.
Vemos toda a superação a personagem ao longo do livro. E acho que isso é o mais importante de toda e qualquer estória. Os personagens são bem construídos, e nos familiarizamos com a estória bem rápido. O livro me fez refletir sobre muitas coisas. Foi realmente uma leitura proveitosa, na qual podemos tirar grandes lições.
Com uma narrativa leve, a autora nos conduz pela história dessa bela jovem que foi capaz de superar seus erros, e transformá-los em algo belo.
Ah, e não podemos esquecer do belo presente que a autora nos dá no fim do livro. Sim, ela nos presenteia com o seu dicionário das flores, com cada significado ( o que é fantástico, pois durante a leitura , nós ansiamos para também usar a linguagem das flores).
Uma leitura transformadora e super recomendada.
BOA LEITURA!

terça-feira, 26 de junho de 2012

[Novas Parcerias] Autores Nacionais

Olá leitores!
Hoje trago pra vocês mais duas parcerias que me deixaram super feliz.



Deise C. Müller nasceu em Vila Velha - ES, no ano de 1989. Durante a infância, não conseguia ir até a padaria e retornar sem ter imaginado uma história inteira. Na adolescência, se interessou por informática e achou ter encontrado sua paixão. Após seu casamento com Nelson e durante a faculdade de Sistemas de Informação, redescobriu sua paixão por literatura… após passar noites em claro consumida por ideias, resolveu escrever. Depois de vários contos e um livro não publicado, em 2010 surgiu Lilac. Sua estreia literária.
Recentemente se mudou de volta para a sua terra natal, onde escreve o segundo livro de Lilac em paralelo com sua nova série ainda intitulada.




Sobre seu livro:
Lilin, uma succubus ambiciosa, tenta aniquilar Lúcifer. E como punição, é enviada a Terra e destituída de seus poderes. Transformada em feiticeira, Lilin assume vários consortes e começa um plano para reinar sobre os seis clãs dos feiticeiros.
Meg cresceu acreditando ter herdado habilidades mágicas de sua tataravó feiticeira. Abandonada ainda bebê pela mãe, seu pai tenta fazer com que ela e sua irmã se interessem pela arte oculta, porém a última coisa que uma adolescente quer é aprender feitiços com sangue de galinha e adagas afiadas. Entretanto, quando Lauren, sua irmã, é assaltada e baleada, e Lucas seus ex-namorado, desaparece misteriosamente Meg se arrepende de não seguir os conselhos do pai.
Meg retorna à cidade onde cresceu, para se afastar da dor do passado e da acusação nos olhos do pai. Seu passado, no entanto, não está disposto a deixá-la em paz. Craft, o suspeito inicial no desaparecimento de Lucas, acaba sendo o rei do clã Domovoi, o mais poderoso dos clãs, e sua única esperança de escapar de seu caçador, e da escuridão na qual seu coração se afundou.
Mas quando sobreviver pode significar ser um receptáculo ambulante para um demônio que planeja destruir tudo o que você ama, e morrer significa destruir o coração daqueles que te amam, o que fazer?
Um demônio banido… Uma linhagem condenada… E uma atração inevitável. O amor realmente supera tudo?




Roberta Spindler nasceu em Belém do Pará, em 1985. Graduada em publicidade, trabalha como editora de vídeos. Escreve desde a adolescência e é apaixonada por literatura fantástica. Publicou nas antologias Psyvamp e Deuses, da Editora Infinitum, e Tratado Secreto de Magia – Vol. II, da Editora Andross.





Oriana Comesanha tem 25 anos, nasceu em Belém do Pará. É formada em psicologia pela Universidade Federal do Pará e trabalha na área de psicologia jurídica. Começou a escrever ainda jovem, atividade que originou o livro Contos de Meigan – A fúria dos Cártagos, e atualmente divide seu tempo entre a paixão pela profissão e pela literatura. Tem alguns contos ainda não publicados, além de publicações em sua área de interesse profissional. 









As duas últimas são autoras de um único livro:
Sinopse:
" Meigan é um mundo diferente do nosso, morada de seres especiais e poderosos que se denominam magis. Na aparência são exatamente como nós, mas as diferenças não podem ser ignoradas por muito tempo. Os magis tem uma relação especial com a natureza e seus elementos, moldando-os a sua vontade e apoderando-se de sua força. Esses elementos, chamados mantares, não se limitam apenas aos conhecidos fogo, terra, ar e água. Existem muitos outros, como as sombras, o tempo e até mesmo o controle sobre o próprio corpo. Ter a capacidade de decifrar, entender e interagir com a natureza é um dos principais requisitos para a evolução de um magi.
Contos de Meigan – A Fúria dos Cártagos começa com Maya Muskaf preparando-se para voltar para casa. Depois de três anos vivendo na Terra, o momento de retornar a Meigan finalmente havia chegado. Ela estava preocupada, pois alguma coisa afetava seu controle sobre os mantares, talvez algum resquício da misteriosa doença que a debilitou durante a infância. Com medo de estar novamente doente e para conseguir respostas, decidiu colocar de lado suas diferenças com sua mãe, a principal governante do mundo magi. Voltaria a Katur, capital de Meigan, e pediria perdão por todas as brigas passadas.
Assim, deixou sua vida terrena de lado e entrou na primeira caravana que encontrou. Entretanto, seus planos acabaram tomando um rumo muito diferente daquele que imaginara. Os soldados que escoltavam a caravana acabaram achando destroços e um corpo no chão. Logo que avistou o homem morto, com os cabelos tão brancos quanto sua pele e os olhos inteiramente negros, Maya soube que se tratava de um dos cártagos – antigos magis que traíram seu povo e por isso foram banidos para uma dimensão paralela.
As implicações para tal presença em território magi eram gravíssimas e não demorou muito para que Maya e seus companheiros descobrissem que os magis traidores estavam tomando o Solo Sagrado e derrubado seus portões de defesa. Agora, em meio ao caos de uma violenta batalha, Maya vai precisar lutar para sobreviver e conseguir respostas para as perguntas que lhe afligiam. Como os cártagos conseguiram acesso ao Solo Sagrado? Onde estavam os guardiões dos portões, os mais poderosos guerreiros de Meigan? E, a mais importante de todas, conseguiria chegar a Katur a tempo de encontrar sua mãe?"


Em breve resenha dos livros



[RESULTADOS] "Promoção 50 seguidores" e "Promoção de Outono"


Olá Leitores.
Para não fazer outro post, vou informar os vencedores dos 2 sorteios, das promoções encerradas no blog. “Promoção de Outono” e “50 seguidores”.


           É com muita felicidade que venho anunciar o vencedor do nosso sorteio “50 seguidores”.
Quero agradecer a cada um de vocês que me ajudaram a divulgar, que participaram e seguiram no blog; enfim, que realmente acreditaram no meu trabalho; Obrigado, obrigado, obrigado.

Agora bora lá conferir quem foi o(a) sortudo(a)?!
Que rufem os tambores *tchã, tchã, tchã, tchã* rsrs.
Foram 1448 participações válidas e o(a) grande sortudo(a) foi:



Parabéns Cristiane!!!

O e-mail já foi enviado e o ganhador terá 48 horas para responder. Caso não aconteça, ocorrerá novo sorteio.





Promoção de Outono [RESULTADO]
E aproveitando a deixa vou postar o resultado também da “Promoção de Outono”, que foi uma parceria entre sete blogs.
A vencedora da “Promoção de Outono” foi a  Rosana Silva.
Em breve estará recebendo os livros.

É isso leitores, e quem não ganhou não fiquem tristes, em breve virão mais sorteios pra vocês.





sábado, 23 de junho de 2012

[Destaque Nacional #08] Freud, me tira dessa! - Laura Conrado

Título: Freud, me tira dessa!
Autora: Laura Conrado
Editora: Novo Século
Nº de páginas: 239
Sinopse: Catarina é uma jovem que passa a morar sozinha em função do novo emprego. Dona de uma vida amorosa catastrófica e disposta a rever suas escolhas, Cat busca ajuda na psicoterapia. Como se não bastasse o dolorido processo de conhecer a si mesma e de adentrar na relação com seus familiares, Catarina se apaixona pelo terapeuta. No auge de sua angústia, a personagem recorre ao pai da Psicanálise para sair dessa. Por meio das confusões de Cat, é possível não simplesmente rir, mas também se identificar com a profunda trajetória de autoconhecimento e aceitação da própria história.



Nota Pessoal:
Catarina, após levar um ‘pé na bunda’ do seu atual namorado Rubens, está insatisfeita com a sua vida amorosa.
Trabalha em uma empresa reconhecida, tem uma estabilidade, mas mesmo assim não consegue entender porque sua vida afetiva não toma rumo.
Posso dizer que o livro me surpreendeu muito. Pensei que fosse mais um desses clichês , onde uma mulher se apaixonaria pelo terapeuta, e blá blá blá.
Não. Definitivamente o livro não é desse jeito. Muito pelo contrário. Temos personagens marcantes, cheios de personalidade.
A autora soube construir cada um deles, principalmente a nossa protagonista Cat.
Morando em BH, sempre que possível Catarina viaja para o interior do estado para a casa dos seus pais. E foi em uma dessas viagens que Catarina descobriu que sua irmã, Amanda, estava namorando com o seu ex-grande-amor. Pois é, foi uma briga danada, e eu até gostei dos ‘tabefes’ que Amanda levou. Poxa, namorar o ex-grande-amor da vida da sua irmã é meio complicado.
Dando uma repaginada na sua vida, Cat (é assim que ela gosta de ser chamada), recebe a sugestão de fazer terapia.
E vai mesmo. Embora não acreditasse muito, Cat vai em busca de um terapeuta. E encontra. E se apaixona.
“Eu não respondia nada, mas me sentia a mulher mais fracassada do mundo. Incapaz de dizer a um homem que eu estava apaixonada.” PG: 98
Clichê, não?!. Seria, se a autora não soubesse colocar seu jeitinho diferente de escrever.
Acho até que esse amor platônico pelo Luiz (o analista), se fundamenta no ‘homem perfeito’ que Cat criou. Afinal ela só via o cara uma vez na semana, e ele realmente parecia perfeito. Ela deitava, contava sua situação e ele escutava, tentando ajuda-la.
Acho que o mais legal do livro são os personagens bem construídos. As amigas de Cat são ótimas, e na empresa onde trabalham tem de tudo. A fofoqueira, a chata, a amiga verdadeira, o cara ‘perfeito’. Enfim, tudo pra deixar a estória mais real e interessante.
Cat é uma personagem bem marcante. Cheia de traumas da infância, insegura na vida amorosa. Mas é uma personagem forte. Eu me identifiquei muito com ela.
Cat começa a fazer terapia, frequentar academia. Lá conheço o Pirilampo. Um homossexual super alto astral que tenta tirar Catarina da fossa.
Algumas atitudes da Catarina são infantis, como o fato de ficar bisbilhotando a vida do seu ex namorado, ou perseguir seu analista.
Mas essas aventuras dela são bem legais, deixando o livro mais dinâmico e ajuda no desenvolvimento da leitura.
“Sair da sua rotina faz você ver as coisas de outro ângulo, de outro jeito. Sair do ninho é difícil, mas voar vale a pena demais!” PG: 217

O maior dilema de Cat é que ela sempre é trocada. O Rubens trocou ela por uma sem sal da empresa. O seu ex-grande-amor não quis nada serio com ela, mas agora namorava a sua irmã.
O livro é cheio de acontecimentos surpreendentes, e como falei os personagens tem seus próprios problemas, o que os torna mais reais.
Acho que o único problema mesmo foi a pequena quantidade de capítulos. Isso faz com que os capítulos tornem-se extensos, o que para alguns é um problema. Mas para mim não foi porque a leitura é dinâmica e instigante, então eu li super rápido.
Enfim, Catarina supera seus traumas, consegue dar a volta por mim. Claro que teve toda o desenvolvimento da estória para enfim, a nossa protagonista superar tudo e sentir que sua vida estava enfim entrando no seu devido lugar.
É uma leitura super recomendada, principalmente para aqueles que gostam de um romance com um ‘gostinho brasileiro’.
BOA LEITURA!

quarta-feira, 20 de junho de 2012

[Lançamento] "Jogando Xadrez com os anjos" de Fabiane Ribeiro

Olá Leitores.
Hoje trago para vocês uma novidade da Fabiane Ribeiro, autora parceira aqui do blog.
Autora dos livros: “Corações em fase terminal”, resenha aqui , “A gente ama, a gente sonha” (em breve resenha) e “Xadrez ”, Fabiane Ribeiro fez por merecer e agora, depois de ter seu livro “Xadrez” publicado de forma independente, terá a felicidade da publicação através da Editora Universo dos Livros.
Com o novo título “Jogando xadrez com os anjos” e nova capa, o livro será lançado oficialmente no dia 12 de agosto, na bienal do livro de SP, das 11hrs aos meio-dia, na estande da Universo dos Livros.
Então, você de SP, ou que irá para a bienal não esqueça de passar lá e conhecer essa maravilhosa autora.
O livro já está em pré-venda na livraria Saraiva, no link: : http://www.livrariasaraiva.com.br/produto/4069327/jogando-xadrez-com-os-anjos/?PAC_ID=30393
Em breve resenha do livro para vocês.

terça-feira, 19 de junho de 2012

[Resenha] Estilhaça-me - Tahereh Mafi

Título: Estilhaça-me
Título Original: Shatter Me
Autora: Tahereh Mafi
Editora: Novo Conceito
Nº de páginas: 304
Sinopse: Juliette não toca alguém a exatamente 264 dias. A última vez que ela o fez, que foi por acidente, foi presa por assassinato. Ninguém sabe por que o toque de Juliette é fatal. Enquanto ela não fere ninguém, ninguém realmente se importa. O mundo está ocupado demais se desmoronando para se importar com uma menina de 17 anos de idade. Doenças estão acabando com a população, a comida é difícil de encontrar, os pássaros não voam mais, e as nuvens são da cor errada. O Restabelecimento disse que seu caminho era a única maneira de consertar as coisas, então eles jogaram Juliette em uma célula. Agora muitas pessoas estão mortas, os sobreviventes estão sussurrando guerra – e o Restabelecimento mudou sua mente. Talvez Juliette é mais do que uma alma torturada de pelúcia em um corpo venenoso. Talvez ela seja exatamente o que precisamos agora. Juliette tem que fazer uma escolha: ser uma arma. Ou ser um guerreiro.

Nota Pessoal:
Juliette tem um toque letal. Capaz de matar a todos que a tocarem.
Aprisionada durante 264 dias, seus únicos companheiros de cela são um caderno e uma velha caneta quebrada.
Até Adam chegar e mudar o rumo dessa estória.
Confesso que no começo ‘Estilhaça-me’ não me prendeu completamente. Eu até entendo todo o começo da estória que a autora criou, e até acho que foi importante para a estória em si. Mas confesso que não gostei.
Não gostei do modo como a autora escreveu todo o dilema de Juliette. O livro é narrado no ponto de vista dela, o que para mim foi bom, mas que no começo foi meio cansativo.
Juliette está aprisionada; ela, seus pensamentos e algumas palavras que ela fala para não perder o hábito.
A estória demorou um pouco para desenrolar-se, mas quando os ‘acontecimentos importantes’ nos são apresentados, a leitura flui de maneira mais rápida.
O Restabelecimento quer Juliette. Quer usá-la como arma contra todos. E Juliette simplesmente não acha certo quererem usá-la para esse tal plano de destruição.
Adam, entra na estória no momento que Juliette está na cela, fingindo ser um dos membros do Restabelecimento.

“ Adam fica de pé. A luz da manhã infiltra-se através das pequenas janelas pelo ângulo perfeito, no momento perfeito.” PG: 204

Há uma atração, por parte de ambos. Juliette sente-se atraída por Adam. E vive um dilema. Se tocá-lo ele pode morrer. Mas ele é atraente. Extremamente atraente para Juliette.
Mas na verdade Adam não faz parte totalmente desse Restabelecimento. Ele é um amigo de infância de Juliette, que entra no Restabelecimento por dizer-se um amigo dela, e para ajudar o Restabelecimento. Quando na verdade ele quer mesmo é proteger Juliette.
Como disse achei o começo da estória um pouco cansativo. Eu entendo que a garota tá presa em uma cela a não sei quantos dias e que não falava com ninguém, e isso justifica o fato de ela ficar tensa com a presença de Adam, mas acho que o modo como a autora escreveu me fez ficar um pouco travado na leitura.
Warner. * para tudo*. Líder do Restabelecimento o cara é simplesmente um maníaco psicopata total e completamente. Pense que ele é surtado e doido pela Juliette. Ele simplesmente vai até o fim, até a última gota para ter ela somente para ele.
Começa aí acontecimentos realmente ‘interessantes’ no livro. Uma fuga de Juliette e Adam. Uma busca desenfreada do Restabelecimento atrás dos dois.
Uma última esperança. O Ponto Ômega.
E foi aí que acho que rolou a parte ‘X-Men’ da estória. Um lugar onde mora todos os ‘seres fora do comum’.
Posso dizer que o livro é realmente muito bom. Mesmo o começo sendo cansativo.
É só o primeiro livro. Então acho que podemos esperar muito dos próximos. Porque o ponto onde termina o primeiro é crucial para que fiquemos realmente desesperados para ler o próximo volume, que só sai próximo ano.
A estória tem personagens bem marcantes. Destacando o irmão de Adam: James. Ah, é realmente um menino super ultra mega legal. Assim como Juliette, eu me encantei logo de cara com ele. Que apesar de ser uma criança, já apanhou muito da vida.
Agora fico aguardando desesperado o próximo volume.
Boa Leitura!

domingo, 17 de junho de 2012

Promoção ‘Freud, me tira dessa!’

A Editora Novo Século em parceria com a autora de ‘Freud, me tira dessa!Laura Conrado lança uma super promoção para o mês de junho.

Regulamento.
1.Como participar:
1.1   Escreva o seu problema pedindo ajuda para Freud.
1.2   O texto deve ter no máximo 30 linhas.
1.3   Os textos deverão ser enviados para: mailto:comunicação@novoseculo.com.br até o dia 20/06/2012.
1.4   Os textos inscritos serão avaliados antes de serem postados em nosso blog. Caso haja termos pejorativos ou qualquer outro quesito que não atenda ao padrão de trabalho e comunicação da editora o texto poderá ser descartado.
1.4.1          Palavras de baixo calão;
1.4.2          Palavras ou frases ofensivas;
1.4.3          Palavras ou frases negativas em relação ao livro ou autor apresentado;
1.4.4          Termos que promovam o preconceito racial  ou qualquer tipo de descriminação semelhante;
 2.Apuração
A apuração será feita pela equipe da Novo Século em conjunto com a autora de “Freud, me tira dessa!” Laura Conrado.
O texto será julgado de acordo com os seguintes critérios:
-Criatividade;
-Mensagem;
-Coerência com o tema proposto
-Clareza e compreensão da mensagem;
3.Premiação
O vencedor receberá um exemplar de “Freud, me tira essa!” autografado pela autora e um brinde especial.
4. Disposições Gerais
-Residir em território nacional – Brasil
-O resultado do sorteio será divulgado em nossas redes sociais e no blog da editora no dia 25/06/2012.
-Os textos devem ser enviados até o dia 20/06/2012 (quarta-feira).
- As regras da promoção poderão ser alteradas a qualquer momento sem prévio aviso.

sexta-feira, 15 de junho de 2012

[Destaque Nacional #07] Corações em fase terminal - Fabiane Ribeiro


Titulo: Corações em fase terminal

Autora: Fabiane Ribeiro

Nº de páginas: 115

Sinopse: Cátia, após quase acabar com a própria existência, mergulhada em uma vida de vícios e erros, acorda em um local misterioso, com o coração, manchado, em uma caixa dourada, e uma projeção de si própria, presa em um espelho repugnante. Em meio a uma cidade estranhamente maravilhosa, e junto a um amor mais forte que a própria vida, Cátia tem sua última chance de encontrar a cura para seu coração manchado. Descubra o que é o Santuário, o clarão dourado, o templo onde a rosa flutua... Conheça cada personagem e seu coração doente. Cada um deles terá uma última chance para salvar sua vida, devido a seus próprios erros.



Nota Pessoal:
“Corações em fase terminal” é um dos livros mais emocionantes e lindos que eu já li em toda a minha vida. Não conseguirei expressar toda a experiência e mudança que esse livro causou na minha vida.
É daqueles livros raros, que conseguem tocar lá no fundo da nossa alma. Me fez repensar alguns atos, que talvez estivessem destruindo também o meu coração.
Cátia, uma jovem bonita, cursando faculdade de Direito, é filha de uma tradicional família carioca. Tudo parecia normal na vida daquela família. Até que Cátia começa a se drogar e a beber, chegando em casa em um estado deplorável, deixando a família desesperada, e abandonando a faculdade.
Até que em um belo dia, depois de uma briga com seus pais, Cátia tranca-se no seu quarto, e inesperadamente acorda em um lugar totalmente esquisito.
Um quarto pequeno e cinzento. Um espelho que refletia uma Cátia, magra, sem forças, encolhida num canto. Perguntas sem respostas começam a surgir na cabeça da jovem.

“A imagem presa no espelho de cada um é o reflexo
verdadeiro da doença de nossos corações em nossa alma. Não há
como fugir da verdade quando se olha para aquele espelho.” PG: 37

A jovem encontra-se com Tadeu, um homem misterioso que mora em um quarto vizinho, que não dá nenhuma resposta a Cátia, ela entrara em um estado onde ela encontraria as respostas para sua vida. As respostas que salvariam o seu coração.
Uma caixa misteriosa, com o seu nome gravado. Dentro, o coração frágil de Cátia.
O lugar misterioso nada mais é que uma cidade, em algum plano, para onde vão todas as pessoas que aqui na terra, tem sua vida destruída por elas mesmas. Uma última chance para salvar os seus corações que estão em fase terminal.
Todos carregam uma ‘Caixa Sagrada’, na qual abriga seus respectivos corações. Cada um do seu jeito; cada um refletindo suas mágoas e suas angústias da vida.
Na cidade cada um desenvolve uma função. A função que os ajudarão a curar o seu coração e enfim voltar a nossa dimensão. O tempo?! É algo que não existe. Cada um fica o tempo necessário, para enfim estarem preparados para o momento de retomar a terra.
Nesse emaranhado de coisas, Cátia conhece pessoas maravilhosas que a ajudam a compreender o real motivo da sua estadia ali. Vira assistente de um trem, e mais do que nunca rende-se aos encantos daquela bela cidade. Onde todos buscam a cura para os seus corações.

“— Porque a fé é algo individual, e cada um deve buscá-la na
hora que lhe for conveniente. Não cabe a mim apresentá-la ao Sábio,
cabe a você encontrá-lo e decidir sozinha se ele será objeto de sua fé.” PG: 63

Cátia mora em um conjugado, com quatro quartos, ocupados por ela, Tadeu, Lorena (sua amiga aqui da terra, que também é enviada a cidade para curar seu coração) e Érick um jovem que desperta algo diferente em Cátia.
Começa aí todo um processo de se auto descobrir, rever seus erros terrenos e tentar ao máximo curar o seu coração. 
É um livro que nos passam grandes lições de vida.
Aquela cidade, fruto da imaginação da autora, nos faz refletir sobre como está o nosso coração. E é impossível, você, depois da leitura não querer encontrar a sua ‘Caixa Sagrada’ e ajudar seu coração a se curar de tudo que o aflige.
Eu fiquei encantado com a leitura. A autora escreve com maestria; com uma narrativa cativante eu li o livro em apenas um dia.
Se chorei?! Claro. É uma estória que eu me identifico. É impossível não se sentir emocionado com todos daquela cidade.
E o mais impressionante é que cada um é o seu coração. Tudo gira em torno disso. A autora soube dar as melhor características possíveis a cada coração (personagem), de acordo com os seus erros aqui na terra.
O mais lindo é ver a conexão de Cátia com Érick. Eles se completam tão perfeitamente a ponto de que ambos decidem que um cuidará do coração do outro *chorei* .

“Seus pares de olhos pareciam um só. Ele a olhava. Ela o
olhava. Era possível que vissem as almas um do outro”. PG: 69

Foi um livro que me fez ter uma crise compulsiva de choro. Chorei, chorei e chorei (eu sou chorão mesmo). Porque me senti profundamente tocado com a estória.
Estória esta, que eu indico a todas as pessoas. É daqueles livros que não dá pra guardar pra você, tem que espalhar pra todas as pessoas que você ama.
BOA LEITURA!!!









sábado, 9 de junho de 2012

[Novas Parcerias] Autores Nacionais

Oii Leitores. Hoje trago pra vocês mais duas novas parcerias, que me deixou imensamente feliz.
Primeiro porque eu adoro literatura nacional, e segundo é o imenso prazer que tenho em divulgar esses autores maravilhosos que temos em nosso país.
Bora lá conhecer um pouco a história dessas duas autoras?!


Laura Conrado Dias de Oliveira nasceu em 26 de agosto de 1984, em Belo Horizonte, Minas Gerais. Desde criança sonhava em ser escritora, apresentando gosto pela escrita e leitura: pegava folhas do caderno e escrevia histórias sobre as viagens da família e o dia a dia na escola. Fazia os desenhos ou colava gravuras e pregava o pequeno jornal na parede do banheiro – o lugar onde todos iriam ler! Atentos à aptidão da filha, seus pais passaram a incentivar sua participação em concursos de redação e a presenteá-la com  livros (aos 11 anos ganhou diversos exemplares da Literatura  Brasileira). Entretanto, um dos livros que atraíam o interesse de Laura eram os de sua mãe, que é psicóloga.
Prestou vestibular para Psicologia, mas optou pela Comunicação Social. Mas quem conhece seus livros e postagens no Blog nota a queda por assuntos comportamentais. Mesmo seus livros infantis abordam relacionamentos, conflitos e autoconhecimento.
Aos 21 anos, publicou seu primeiro livro “Miguel e o Pão dos Anjos”, pela Editora Santuário, que está na segunda edição. Em 2012, lançou o livro “Lendo com o papai e a mamãe”, pela editora Mãe da Igreja. Seu primeiro romance destinado ao publico jovem “Freud, me tira dessa!” foi lançado em abril de 2012, pela Editora Novo Século. A história tem conquistado leitores que se divertem e se identificam com a trajetória de Catarina, que recorre ao divã para rever suas escolhas.
É jornalista, pós-graduada em Educação, Criatividade e Tecnologia. Atuou em televisão, jornal impresso, rádio e assessoria de comunicação e marketing e criação de roteiros. Atualmente dedica-se em tempo integral à escrita e às aulas de interpretação e produção de texto para crianças. Recebe dezenas de e-mails diariamente (e responde!) de leitores de diversas partes do país.



Larissa Siriani Ribeiro Nogueira é uma paulistana de apenas 20 anos que nunca fez a menor idéia do que queria fazer da vida - até começar a escrever. Realimentando o sonho de quando era criança, começou a escrever contos e pequenos livros, e então dando lugar a estórias cada vez maiores, até decidir que queria realmente ser escritora.
Hoje, vive na mesma casa em que sempre viveu desde os 3 anos de idade com os pais, dois irmãos mais velhos e quatro cachorros, faz faculdade de cinema, e já tem três livros publicados de forma independente - Vermelho Sangue, Toda Garota Quer e Ardente Perigo - e de As Bruxas de Oxford, publicado pela  Editora Multifoco.



Em breve resenha dos livros!!! ^^

sexta-feira, 8 de junho de 2012

[Resenha] Cidade dos Ossos - Cassandra Clare


Título: Cidade dos Ossos

Autora: Cassandra Clare

Título Original: City Of Bones

N° de Páginas: 459

Sinopse: Ela presencia um crime cometido por Jace e outros adolescentes tatuados e equipados com chicotes brilhantes e armas pra lá de esquisitas. Ele, um nephilim – filhos de anjos com humanos – que tem como missão caçar demônios; ela, uma mundana que não se sabe por que tem o dom da Visão...
Mas as diferenças entre os dois não impede que em 24 horas Clary se veja envolvida pelo mundo de Jace e dos Caçadores de Sombras; a mãe dela desaparece e a própria Clary é atacada por um demônio. Aparentemente, ela não tem a quem recorrer além de Jace. Mas por que um demônio estaria interessado em uma mundana como Clary? E como de uma hora para outra ela tem o dom da Visão e percebe o Mundo de Sombras? Todos, inclusive Clary, querem saber...


Nota Pessoal:
Uma boate em NY é o cenário onde acontece o primeiro encontro entre Clary e Jace.
Um encontro que mudaria a vida dos dois. Ela, uma mundana comum, em conflito com a mãe, que busca um pouco de diversão na boate. Ele, um jovem misterioso, um Caçador de Sombras que vai a boate matar um demônio.
“Cidade dos Ossos” é o primeiro livro da série “Os Instrumentos Mortais”.Uma série que me deixou completamente fascinado.
 Até certo ponto do livro, confesso que pensei em desistir, por não estar entendendo absolutamente nada. Os fatos simplesmente aconteciam sem nenhuma explicação, tudo nos era apresentado de uma forma que me fazia pensar “Mas, porquê isso está acontecendo” “Como assim?”.
Mas pra minha surpresa, tudo entra no seu devido lugar, tudo é explicado e eu enfim consegui terminar o livro (e já vou correr pro segundo volume).
Jace é um Caçador de Sombras, e junto com Alec e Isabelle, caçam demônios, e vivem em um Instituto com Hodge, tutor dos jovens que antes fazia parte de um Ciclo.
Eles são cheio de ‘instrumentos mortais’, como: adagas mágicas, chicotes que brilham e outras coisas, frutos da imaginação da autora que só fazem o livro ser mais fascinante.
“Eu uso ferramentas que são mágicas. E para fazer apenas isso precisei passar por treinamentos rigorosos.” PG: 103
Jace, assim como outro caçador de sombras é cheio de tatuagens misteriosas que o protegem e o deixa mais resistente nas suas lutas.
Clary é uma jovem que tem o poder de ver esses ‘seres de outro mundo’. Sim, nenhum mundano comum é capaz de ver esse lado oculto do mundo. Mas Clary sim, e isso definitivamente não é um bom sinal.
Em uma noite, após brigar com sua mãe Clary, sai com seu melhor amigo Simon, e nesse lugar ela ver novamente os jovens tatuados misteriosos. E recebe uma misteriosa ligação da sua mãe, pedindo para que ela não volte para casa pois estaria correndo perigo.
E é nesse ponto que as ‘coisas realmente boas’ começam a acontecer.
Nos é apresentado todo o ‘lado sombrio’ por trás do nosso mundo. A Clave, o ciclo, as “três cidades”: dos ossos, das cinzas e do vidro (as duas últimas é o pano do fundo, dos dois próximos livros).
O mais impressionante de toda a série pra mim é o fato da autora misturar seres como: fadas, lobisomens, vampiros e outros, numa mesma história sem deixar o leitor perdido; E principalmente sem deixar a história sair do ‘rumo’.
“ Como no próprio sonho, ela o desenhou com asas que se curvavam atrás dos ombros dele em um arco, como as asas de uma estátua de anjo na Cidade dos Ossos.” PG: 290
Surge então o ‘vilão’ da história. Valentim. Um antigo membro do Ciclo, que acabou tornando um dos seres mais temidos da terra das sombras.
E o Cálice. O grande cálice que é capaz de transformar pessoas em caçadores de sombras. Pior, se o Cálice fosse parar na mão de Valentim ele formaria um exército de caçadores de sombras para destruir todos, sem piedade, e sem respeitar os acordos.
Começa uma busca desenfreada de Clary, Jace, Alec e Isabelle em busca do Cálice. Claro, sem esquecer de Simon, o melhor amigo de Clary, e que apesar de ser mundano compõe um papel fundamental na estória.
Sem também esquecer de Luke, um ‘possível’ casinho que a mãe de Clary tinha, um mundano comum, que mostra o seu verdadeiro ‘eu’, que na verdade é um ser ‘fora do comum’ (e eu não vou contar a vocês o que é).
E claro o querido, amado, engraçado: Magnus Bane. Haha, ele também é parte fundamental da estória.
A leitura me surpreendeu muito. Não espera tanto dessa série. A estória toma rumos inesperados, e quanto mais você ler, mais as coisas acontecem e mais você quer acabar o livro logo.
Eu recomendo muito a leitura. O livro é só uma ‘possível’ apresentação dos fatos que acontecerão nos próximos. Assim como em qualquer saga/série. Mas pense, realmente é de tirar o fôlego.
A autora dá umas reviravoltas ‘loucas’ na estória que me deixaram de boca aberta. Umas coisas que a gente pensa “Nossa, realmente ela é demais!”. Rsrsrs.
Agora vou correr pra “Cidade das Cinzas”, e em breve resenha pra vocês.
BOA LEITURA!


domingo, 3 de junho de 2012

Meme: Pilha de Livros não-lidos

Mais um Meme pra vocês. Dessa vez foi a querida Paulinha do “Fase Adolescente” que me mandou, e que fiquei super super feliz *-*. É sobre algo que todo e qualquer leitor que se preze gostaria de responder. Pilha de livros não lidos. E eu como um bom leitor, também tenho minha pilha de não lidos. Que eu estou lutando com todas as forças pra diminuir e digo, não é fácil.
Bora lá, conferir?
1. Responda as perguntas abaixo:
Qual a quantidade de livros comprados/ganhados e não-lidos que você tem na fila atualmente?
Acho que não tenho muitos, porque ultimamente to me segurando pra comprar, devido a parcerias com autores. Mas acho que deve ter uns 30. E a cada mês aumenta mais, mais e mais
Como ou porquê motivo você chegou a essa quantidade?
Olha, minha pilha já esteve muito maior, posso dizer, muiiiiiiiiiiito maior. Mas o simples fato de ver aquelas mega promoções pelas lojas virtuais, eu simplesmente compro descontroladamente sem medo de ser feliz *e de levar esporro da mãe quando chegar a conta* rsrsrs.
Você tenta se controlar para não comprar muito (e aumentar o tamanho da fila) ou não se importa com isso e compra quando tem oportunidade/dinheiro/vontade?
Olha, agora eu posso dizer que estou me controlando mais. Mas não pelo fato de não ter vontade, dinheiro ou oportunidade, longe disso. É que tenho que priorizar os livros dos autores parceiros do blog, e afins, e vou deixando os meus de lado. Mas estou correndo atrás, pra voltar a ser um consumidor-descontrolado-de-livros.

Nos últimos meses, a sua fila está tendendo a aumentar ou diminuir?
Aumentar. Com certeza. Apesar de tentar me controlar, muitas vezes, as promoções são realmente imperdíveis e acabamos comprando *leitores compulsivos entendem isso* haha. Com certeza a pilha vai aumentar muiiiito.

Quantos livros em média você compra/ganha por mês?
Cerca de 12 livros.

2. Link o blog que te enviou o Meme.
Fase Adolescente
3. A Lia quer saber as suas respostas.
Deixe um comentário no post  http://verbo-ler.com.br/2012/05/meme-fila-de-livros-nao-lidos/ do blog Verbo: Ler, avisando que respondeu o meme, com o link do seu post.
Indico a todo e qualquer blog literário que quiser responder.