sexta-feira, 17 de maio de 2013

[Resenha] Uma Curva na Estrada - Nicholas Sparks

Título: Uma curva na estrada

Título original: A Bend in the Road
Autor: Nicholas Sparks
Editora: Arqueiro
N° de páginas: 303
Sinopse: A vida do subxerife Miles Ryan parecia ter chegado ao fim no dia em que sua esposa morreu. Missy tinha sido seu primeiro amor, a namorada de escola que se tornara a companheira de todos os momentos, a mulher sensual que se mostrara uma mãe carinhosa. Uma noite Missy saiu para correr e não voltou. Tinha sido atropelada numa rua perto de casa. As investigações da polícia nada revelaram. Para Miles, esse fato é duplamente doloroso: além de enfrentar o sofrimento de perder a esposa, ele se culpa por não ter descoberto o motorista que a atropelou e fugiu sem prestar socorro. Dois anos depois, ele ainda anseia levar o criminoso à justiça. É quando conhece Sarah Andrews. Professora de seu filho, Jonah, ela se mudou de Baltimore para New Bern na expectativa de refazer sua vida após o divórcio. Sarah logo percebe a tristeza nos olhos do aluno e, em seguida, nos do pai dele. Sarah e Miles começam a se aproximar e, em pouco tempo, estão rindo juntos e apaixonados. Mas nenhum dos dois tem ideia de que um segredo os une e os obrigará a tomar uma decisão difícil, que pode mudar suas vidas para sempre. Nesta obra, Nicholas Sparks escreve com incrível intensidade sobre as difíceis reviravoltas da vida e sua incomparável doçura. Um livro sobre as imperfeições do ser humano, os erros que todos cometemos e a alegria que experimentamos quando nos permitimos amar.


Nota Pessoal:
Para mim – especialmente – é muito difícil resenhar um livro do Nicholas, porque eu sempre amo todas as suas histórias, seus cenários, seus personagens...enfim, tudo. Com ‘Uma curva na estrada’ não foi diferente. Mais uma vez o Sparks transformou o clichê em uma belíssima história de amor...e perdão.
Acho que é muito relativo de cada leitor, mas sempre – ou quase sempre – já sabemos o que esperar do autor: um casal apaixonado, que tem de enfrentar inúmeras provações, traumas e medos para superar o amor.E é isso mesmo...sempre – ou como disse, quase sempre. Porém, acho que é justamente esse o diferencial do Sparks, pegar uma história ‘comum’ e dá um toque especial, seja de sentimentalismo, suspense, tensão...
Miles está em um profundo estado de tristeza desde a morte de sua esposa. Mais ainda, porque mesmo sendo subxerife, nunca conseguiu descobrir quem a matou. Ele é quase que completamente obcecado por desvendar esse mistério e tentar, enfim, levar a vida normal de antes.
Sarah também passa por um momento difícil. Sua vida está longe de ser perfeita. Professora, ela acabara de sair de um relacionamento de uma forma um tanto conturbada, e decidi morar justamente naquela cidade.
É lá que ela conhece o encantador Jonah, um menino que parece não acompanhar muito bem a dinâmica da sala. Isso acaba por levá-la a prestar mais atenção ao garoto. O que consequentemente a leva ao pai dele: Miles Ryan.
Começa então uma história de amor...dessas meio ‘tímidas’, retraídas... Miles se vê prestes a sair do casulo que criou para si mesmo, enquanto Sarah vê nele, a chance de talvez encontrar o tão sonhado ‘felizes para sempre’.
Ok. Até aí nada parece fugir dos padrões ‘Nicholas Sparks’. Mas o livro é misterioso...cheio de suspenses – o que foge a esses padrões. O que mais gostei foi o fato do autor ter nos dado uma visão direta do ‘assassino’ da esposa do Miles.
A princípio – e isso prevalece por quase toda a história – a narrativa é feita em terceira pessoa. Mas em alguns capítulos, a narrativa muda de pessoa, passando-a para a tal pessoa misteriosa – que no caso é quem matou a Missy.
Isso foi um ponto alto da história. Acho que o autor soube mesclar romance e suspense, sem tirar o foco da verdadeira história.
Sem dúvidas os capítulos narrados pelo ‘assassino’ foram os melhores, porque até então só tínhamos o lado do Miles de toda a história, ou seja, você fica com raiva junto com ele, pelo modo que a situação impõe. E é justamente quando passamos a ver o outro lado da história – o do ‘assassino’ – que ficamos divididos. Porque mesmo sabendo que talvez não tenha sido correto o que sucedeu-se após o acidente, talvez não tenha sido como o Miles ou nós, leitores, imaginávamos.
Sempre tenho que ressaltar sobre os personagens maravilhosos que o Sparks consegue criar. Longe de serem perfeitos, acho que é isso que faz o leitor identificar-se com eles...seus traumas, medos, frustrações e limitações. A Sarah é uma mulher frágil, mas ainda assim corajosa e bondosa. Tudo que ela faz pelo Jonah é realmente incrível... consegue o que nem o próprio pai do garoto conseguiu.
O Miles, mesmo tentando bancar o durão, é um personagem que me mostrou que por mais carrasco que você tente parecer, apenas para talvez tentar impor certa autoridade...ou talvez por sua vida estar longe de ser perfeita, o amor é um sentimento que pode derrubar todas as barreiras que a vida impõe.
E o Jonah...como falar de um garoto tão inocentemente incrível?! O que achei mais incrível foi sua capacidade de encarar as coisas e de muitas vezes ser mais adulto e racional que o seu pai...e sem perder a inocência e o espírito de criança. Sem dúvidas, ele é um dos meus personagens favoritos.
‘Uma curva na estrada’ é mais que uma simples história de amor. E também é muito mais que uma história de suspense. É uma história de perdão. E vocês entenderão o porquê. Essa história me fez ficar pensando sobre o quanto nossa vida pode ser imprevisível. O quanto nosso destino pode mudar abrupta e inesperadamente.
O se isso não tivesse acontecido... Se eu tivesse feito aquilo... Se eu tentasse melhorar aquela situação... Se...Se...Se.
Toda a superação e amadurecimento de todos os personagens – e cada um, em especial – deixa a história mais real. Realmente, acho que não é nada difícil identificar-se com as histórias e personagens do Sparks.
Um livro super recomendado!!!
BOA LEITURA!!!

Comente com o Facebook:

6 comentários:

  1. Oi Ronaldo :)

    Estou louco nesse livro já faz um tempo kkkkkk, eu quase comprei ele esses dias só que desisti porque estava caro, mas depois da sua resenha com certeza vou conferir, abraços !!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/ ( comenta lá :D )

    ResponderExcluir
  2. Oi, Ronaldo. Citei esse post lá no Nicholas Brasil:

    http://nicholasbrasil.com.br/resenha-de-uma-curva-na-estrada-por-ronaldo-gomes/

    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Concordo com tudo o que você disse sobre o autor: apesar de já sabermos a direção que uma história vai tomar, não conseguimos não ler, não nos envolver. Nicholas consegue nos prender e desarmar de tal maneira que seus livros serão sempre especiais.
    Ainda não li esse, está na minha listinha. Mas tenho certeza que vou me apaixonar. Adoro quando ele fala de amor e perdão. O ser humano anda precisando aprender a amar e perdoar. Demais. E a si mesmo primeiro.
    Bela resenha!

    Um beijo,
    Nica

    http://www.nicasdrafts.com.br

    ResponderExcluir
  4. Gostei da sua resenha, parabéns!!!!! Vou comprar o livro em breve :)

    Abraços!!

    ResponderExcluir
  5. adorei a resenha, vou começar minha leitura. bjoss :)

    ResponderExcluir
  6. Gostei muito da sua resenha, apesar de já conhecer a direção das histórias do Nicholas Sparks, sempre me surpreendo com a direção que a história toma. Nesse livro uma curva na estrada, já estava imaginando que seria o irmão de Sarah, porém quando o mesmo confessou o que tinha feito, me emocionei..

    http://buscaporpalavras.blogspot.com.br/2014/03/uma-curva-na-estrada-nicholas-sparks.html
    Até logo

    ResponderExcluir